sábado, dezembro 22, 2012

"Anunciaram e garantiram
Que o mundo ia se acabar..."
...O dia 21 passou...
"E o tal do mundo
Não se acabou..."

"E amanhã é 23, são oito dias para o fim do mês..."


O fim do mês de um ano que eu não vim muito aqui porque eu tive muito a fazer em outros lugares. E vou elencar e celebrar essas tais coisas feitas nesse post oficial de fim do ano do Jululu.

Janeiro: Passei as férias em CF aproveitando o máximo possível, exercitando minha criatividade com a produção de caixas decorativas - como faço todo ano. Fui madrinha no casamento de dois amigos muito queridos e as minhas amigas lindas Advi e Micha, com seus respectivos amados, foram passar uns dias na minha casa em CF!

Fevereiro: Fim de férias, esse ano fui presenteada em trabalhar 2 dias do lado de casa...que benção! Fui para Foz do Iguaçu e me encantei com a beleza do Brasil. Eu e Ty tivemos uma briga seríssima e olha, por mim o namoro tinha acabado - não foi mole não. Descobri que estava com metatarsalgia e tive que parar de correr. 

Março: Iniciei o período de repouso e tratamento da minha lesão, fiquei muito de saco cheio, começou a luta com a balança de novo. Fui para Brasília pro aniversário do meu avô paterno e adorei os 3 dias que passei lá! Parei de fazer Dança do Ventre também, porque não estava conseguindo ir direito.

Abril: Esse mês inteiro não me dignei nem a postar, de tão chato que foi. Me lembro que foi o mês MAIS rápido do ano, teve uma porrada de feriado. Eu tinha desistido de escrever no blog. E teve o Lollapalloza, onde eu vi o show dos Foo Fighters. Q quer dizer, ver não vi, mas estava lá - daí dormi no aeroporto e perdi a câmera do Ty. Sux! 

Maio: Minha mãe me convenceu a voltar a escrever no blog. Meus pais decidiram voltar de CF para NKT. Ainda na briga ferrenha com a balança, ainda sem correr. Ty passou na OAB!

Junho: Fez 9 anos que eu e Ty estamos juntos. Perdi uma turma por conta de fofoca falsa de mãe no trabalho e falta de ética da minha chefe por acreditar na mãe e não em mim - e decidi não dar mais o horário da manhã nesse dia, em resposta. Fui à Aparecida do Norte, voltei para a Dança do Ventre e voltei a correr!

Julho: Conheci o meu vício do ano: Pinterest. Me rendi ao Chrome e ao Itunes e fiquei mais fanática ainda por podcasts. Acabei com todas as fotos do blog acidentalmente. Excluí vários emails e contas não utilizadas na net, rooteei meu celular e quase matei o aparelho. Reencontrei o pessoal da Facul no niver de 1 aninho do filhinho de um deles - delícia! Corri os 10km do Adidas de Inverno.

Agosto: Volta as aulas, CORTEI O CABELO curto! Fiz Circuito Light Rio Antigo e meu pai e minha mãe foram comigo, porque MINHA MÃE conseguiu transferência para a Capital. Meus pais vieram de mala e cuia para NKT.

Setembro: Fui a 2 casamentos em um dia só, um de manhã e um de tarde. Revi vários colegas de escola num deles e lembrei porque não faço questão de vê-los, rs... Fui no show da Alanis Morissette com a minha irmã. Teve Circuito Adidas de Primavera, 10km. Fui passar um fds de furacão em CF

Outubro: Fiz 26 numa crise phoda - mais gorda e mais sem saber o que queria da vida. Fui para CF no feriadão. Fui com minhas amigas e encontrei meus amigos lá - acho que foi um dos melhores feriados da minha vida. Eu e Ty fizemos 9 anos de namoro e tomamos uma DECISÃO muito importante: Vamos morar juntos. Foi dada a largada para os preparativos e arranjes da junção.

Novembro: Cansaço super de fim de ano chegando. Crise de gordice. Resolvi me apresentar com a Dança do Ventre no fim do ano. Teve Circuito Vênus.

Dezembro: Teve Adidas de Verão mas eu não fui! Teve Circuito Light Rio Antigo e eu cheguei atrasada. Teve Color Run e eu fui sozinha me sujar. O apartamento para onde eu e Ty foi liberado com 6 meses de antecedência - o que era para ser pro fim do ano que vem, foi pro começo do ano - graças! Teve a primeira parte de O HOBBIT. Apresentei na festa de fim do ano da Dança do Ventre, que nessa vez não foi no teatro. A Advi foi para a Franca. Fui pro niver da minha vó em CF, o Natal será em NKT e o Ano Novo E o mês ainda não acabou!


*Featured Songs:
"O Mundo não se acabou", Adriana Calcanhoto & "Amanhã é 23",  Kid Abelha

quinta-feira, dezembro 06, 2012

Falta de Tolerância

Com o passar dos anos eu acho que fui ficando muito mais tolerante.
Hoje eu acho que talvez verdadeiramente não odeie de fato nada ou ninguém.
Para mim não vale a pena.

Acho que depois que a adolescência passa, passa aquela necessidade infundada de ter alguma opinião sobre tudo, de ter uma reação para todas as coisas e, principalmente de odiar.

Eu me lembro que foi num post da Bia há muitos anos atrás que eu vi algo sobre o ódio nesse estilo... sobre como odiar é ruim, como o melhor é não odiar nada. Até tentei achar esse post mas já faz muuuuitos anos e não consegui. Eu sei que foi uma coisa que me tocou quando eu li. Realmente, odiar não tem sentido.

Me revolta, claro, ver o quanto as pessoas procuram briga e incitam o ódio às mais diversas coisas.

Me revolta mas me compadeço... sei lá, dá uma pena da pessoa. Ela poderia gastar seu tempo amando alguma coisa ou falando sobre alguma coisa que ama, ao invés de dar ibope ao que não suporta.

As pessoas estão perdendo a noção de como e quando se expressar a respeito de tudo.

Sim, é certo que: 

Todos têm o direito de não gostar de algo/alguém. 
Todo mundo tem o direito de não concordar com alguma coisa ou várias coisas.
Toda pessoa tem o direito de ser contra e se protestar contra inúmeras outras coisas.  

Mas há de se lembrar que:

O seu direito acaba onde o do outro começa.
Quem grita sempre perde a razão.
Na maioria das situações, a palavra é prata e o silêncio é ouro.

Muitas vezes eu fico só observando o comportamento das pessoas. A eloquência em odiar e a necessidade de expressar o ódio e repúdio - muitas vezes até gratuito - contra algo. A verborragia que tão veementemente renega e julga alguém ou "alguéns". 

Se toda essa energia fosse usada positivamente o mundo seria um lugar tão melhor.
Se as pessoas ficassem mais contidas em sua expressão negativa e mais expressivas em suas ações, talvez não houvesse de fato nada dessas coisas que elas "odeiam".

Neguinho reclama demais. Tá, eu reclamo demais - mas reclamo demais de, sobre e para três ou quatro pessoas, um grupo que constitui precisamente a minha família - com quem eu convivo, e por mais que as vezes morra de raiva, acho impossível odiar.

Mais tolerância nesse mundo e menos falação de ódio, vamos combinar?

segunda-feira, dezembro 03, 2012

A versão Extendida

Então...

Depois de mais de um mês a pessoa que vos escreve tem coragem de vir aqui publicar a edição de colecionadores da história de como eu e meu Digníssimo resolvemos juntar os trapinhos...

Cof cof...

(Entra o tema de Star Wars) 

Numa galáxia muito distante... 
Num reino Far Far Away... 

(Muda para cena com o burro do Shrek perguntando "Are we there yet?")

... mais precisamente em Cabo Frio há pouco mais de 9 anos atrás, eu e meu namorado nos conhecemos!

(Leia com a entonação do narrador da sessão da tarde!) 

E após muitos anos de altas aventuras e confusões, essa duplinha muito esperta finalmente tomou coragem e vai dividir o mesmo apartamento!

Esse foi o começo;

O meu namorado sempre foi perguntado, coitado, quando que ia parar de me enrolar e me desposar de vez, e sempre respondeu, sem o menor crédito, que era eu que o estava enrolando era eu. Isso não deixa de ser verdade. Há uns 2 anos ou mais já vinhamos pensando em assumir um compromisso mais sério (Bom, ainda acho que namorar quase uma década é um compromisso bem sério). Mas é que eu estava esperando o momento perfeito para isso.

O plano inicial era um dia a gente ir morar num apartamento que ele tem num bairro ao lado do onde moramos agora. Depois cogitamos outras possibilidades, mas com os meus pais tendo vindo para Niterói, tudo mudou.

A princípio, eles viriam para Nkt uma para um outro apartamento (que comprariam com a venda da nossa casa em CF), que não é o onde moramos agora (que já compraram e onde eu e minha irmã moramos). Quando isso ocorresse, havia combinado que minha irmã (a contragosto) iria morar com eles d novo e eu ficaria onde estou. Mas...

A casa em CF não vendeu e não parece q será vendida tão cedo. E o apartamento do lado do nosso aqui em Nkt entrou á venda. Então analisamos e pensamos que:

1) Nada seria melhor para os meus pais do que comprar o apto vizinho e fazer um apartamento de 1 andar só. Só assim ficaria uma tamanho bacana mesmo para quem sempre morou em casa...

2) O plano anterior ficava vinculado a uma venda sem previsão, e depois de 9 anos não ter mais previsão e nenhum controle sobre o destino do seu relacionamento não é legal... "Deixa a vida me levar" já perdeu a graça!

3) Tem muito macaco para pouco galho lá em casa agora. Não tenho espaço para as minhas coisas, não posso mais arrumar do jeito que eu quero, não decido mais nada... Bom, experimente morar de volta com os pais depois de morar quase 10 anos sem eles! Tem suas vantagens, mas também tem seus deméritos...

4) Chega uma hora que você TEM QUE sair a casa dos seus pais. TEM QUE partir para outra. TEM QUE tomar uma decisão. Não dá para ficar em "stand by" para sempre.

Então, numa fila doe MacDonalds da vida, enquanto conversavamos sobre qual sanduíche pedidíramos e o que iríamo fazer da ida, meu caro Digníssimo me solta que "a única pessoa de quem tudo dependia era eu, e que se fosse por ele já tinha acontecido". Quando você praticamente perguntada se prefere casar ou comprar um MacChicken, a coisa está séria mesmo. Então que daí eu resolvi pelos dois, comi o hambúrguer e resolvi dar o próximo passo.

Vou adiantando que não, não vai ter a festa de casório. Nunca foi o meu sonho, não é o meu estilo e gastar dinheiro assim com coisa que não se faz questão é contra a minha religião, hehehehe. Eu pretendo me casar no civil sim, um dia, quando já estivermos juntos sob o mesmo teto e depois que for pedida - porque na fila do MacDonalds não configura pedido de casamento em nenhuma dimensão.

Ia ser só em Dezembro essa junção, mas depois mudou para Julho e agora já está em Março. Se desse no mês que vem eu já me mudava, mas estamos esperando a inquilina entregar o apartamento, e combinamos só para o terceiro mês do ano que vem mesmo.

domingo, novembro 25, 2012

Quem é você?

Tem gente que deia ver esse vídeo to-dos os di-as!!! Vale o clique!

"Você é um indivíduo entre outros 7 bilhões de indivíduos que compõem uma espécie entre outras 3 bilhões de espécies já classificadas que vive na Terra. que é um planetinha que gira em volta de uma estrelinha que é uma entre outras 100 bilhões de estrelas compondo uma única galáxia dentro de outras 200 bilhões de galáxias dentro de um dos universos possíveis e que vai desaparecer." 
- Mario Sergio Cortella




Agora, Micha, o Romário não, tá?

domingo, novembro 18, 2012

Disney


Tive que fazer OUTRA conta no Pinterest porque todos os meus painéis da Disney estavam superlotando o meu perfil inicial... vicio?

... ... ... ... ... ... ... ...

Desde que a Disney comprou a Luca s Film e eu estou esperando muuuuuuito o Episódio 7 de Star Wars! Devoro cada notícia que vejo a respeito!

... ... ... ... ... ... ... ...

Tinkerbell é o C******, teu nome é SININHO!

A Sininho entregou a Wendy pro Capitão Gancho, ela é trapaceira, ciumenta e mentirosa - essa linha Fadas da Disney é uma mentira!! Sininho é vilã!

... ... ... ... ... ... ... ...

Porque o golpe se chama "Boa Noite, Cinderella", se quem dorme é a Bela Adormecida e quem é envenenada é a Branca de Neve?

... ... ... ... ... ... ... ...

A Nala devia entrar para a linha "Princesas" da Disney, porque sem ela, o Simba NUNCA teria sido rei! Ela que botou o leão para rugir!




terça-feira, outubro 30, 2012

Mudanças

O ser humano é uma espécie que só se movimenta e evolui, acredito eu, pela ação de duas forças: o CAGAÇO e o TESÃO. 

Os indivíduos da nossa espécie só modificaram e modificam continuamente suas vidas e meios, e com isso, tudo que existe nesse planetinha, por essas duas forças instintivas e ancestrais.

Admita: O medo de morrer e a vontade de fu*** são a resposta raiz de qualquer "por que". Por trás de camadas e camadas de conjecturas, estopins e circunstâncias, estão sempre uma ou outra, ou as duas.

E como com a minha pessoa não seria diferente, eis que, por uma séries de causas e motivos que no fundo são só cagaço e tesão, depois de 9 anos, eu e meu Digníssimo Namorado resolvemos nos juntar.

Hehehe, claro que tem uma explicação mais bonita, romântica e fofa de como chegamos a essa decisão. Existe uma versão sem censura para pais e filhos, mas é uma longa história, que eu vou resumir aqui com essa minha parábola das duas forças primordiais da evolução.

Outra hora conto a versão estendida para colecionadores dessa história. 

* FELIZ!!

sábado, outubro 20, 2012

Niterói é pequena

I. É um ovo!

Durante uma aula comento que meu pai trabalha em MG, mas é tranquilo pois é plantão 24hX72h, trabalha um dia e folga três. Uma aluna pergunta se ele trabalha em JF e eu digo que sim, questionando se já tinha comentado isso antes. Ela responde que não, mas que tinha um conhecido que trabalha em JF em plantão 24X72, perto da BR. Eu pergunto qual o nome dele. E não que esse cara é o colega de trabalho do meu pai que mora aqui em Nkt, na Região Oceânica, e que, coincidentemente, acabou de comprar nosso carro? O filho desse cara estuda com o filho da minha aluna, se conhecem há tempos. É MOLE?

II. Só tem três pessoas: Eu, você, e alguém que a gente conhece.

Estou totalmente fora do meu caminho normal, indo atrás de comer bobeira no MacDonalds de São Francisco quando me surge um aluno. Ele está lá esperando um amigo da faculdade e pergunta se eu quero carona para subir para a RO. Eu aceito e ele diz que vai esperar o amigo do lado de fora, e eu que quando eu acabar de comer eu saio pra esperar com ele. Mal termino e vejo do lado de fora do Mac o primo do meu namorado, que por coincidência é o tal amigo que o meu aluno estava esperando, e vamos os três de carro pra Itaipu. MUITA coincidência... ou não?

III. Igual a um ovo de codorna!

Eu e meu namorado entramos no elevador do MEU prédio e quando para no térreo entra um ex-colega de trabalho dele, que namorado uma menina que mora no meu prédio, e que diz que ainda conhece mais 2 pessoas que moram aqui - ou seja, conhece mais gente que eu e que a namorada dele, hehehe. E olha que eu vou na reunião de condomínio e pelo menos "sei" quem mora aqui, rs...

IV. Todo mundo conhece todo mundo.

Vamos considerar também que o meu vizinho dois andares acima, que é o outro patrão da minha faxineira, já morou e foi síndico do prédio em Santa Rosa onde o Ty morou anos e onde iremos morar num futuro não muito distante, sendo que esse senhor também está de mudança de volta para lá, pois, de acordo com a minha faxineira, vai retornar para um apto menor pois as filhas estão saindo de casa. Mudaremos pro mesmo prédio, parece perseguição, mas não... É só Niterói mesmo.

terça-feira, outubro 16, 2012

12 a 15


O que posso dizer sobre esse feriado é que eu não sabia que você podia dar risada até ficar rouca.

Advi, Lu, Micha e todos os meus amigos não blogueiros... Obrigado por eles, meu Deus!

sábado, setembro 29, 2012

26

.
Parabéns para mim, que essa semana farei só falta 4 anos para 30 anos !

Esse aniversário não me deixa muito animada. Eu adoro comemorar aniversário e acho que o meu tinha que ser feriado - ou ao menos ter caído num feriado, para eu sempre ter o dia livre e só para mim... acho um absurdo e um saco ter que ir trabalhar no MEU DIA!

Mas não é só por ter que trabalhar hoje que eu estou meio down. São pelos "só faltam quatro para trinta".

Só faltam quatro anos para eu ser oficialmente uma balzaquiana ou para várias coisas que já deveriam ter acontecido acontecerem. Pelo velocidade e tendência de que as coisas vem acontecendo na minha vida, é mais provável que eu venha a ser mesmo a clássica mulher descrita pelo distinto escritor francês.

Conversando com a minha amiga Advi, que também passa pelo mesmo questionamento que eu passo, cheguei a conclusão que há algo de errado no reino das pessoas que fizeram tudo o que tinham que fazer.

Em algum/alguns momentos na minha vida eu pensei tudo que deveria ter feito antes dos 30. Ok, nunca foi uma lista fixa e acertiva ou uma coisa muito determinada, mas, sempre tive mais ou menos uma noção quase sempre igual desde que tive alguma capacidade de planejar um futuro qualquer.

Num futuro qualquer antes dos 30 anos, eu já deveria ter um emprego que me deixasse super bem de vida, ter saído de casa e estar super independente, morar numa casa bem grande com o amor da minha vida e dois ou três cachorros bem grandes correndo pelo quintal. Já deveria ter viajado consideravelmente pela Europa, dado a volta no Reino Unido e ter feito o Caminho de Santiago. Algo assim, mas nada muito "tem que ser assim ou pulo da Ponte". Só "algo assim desse tipo" seria tranquilo, o problema é não ser NADA DISSO.

O emprego tem, e eu não tenho ilusão - professor não fica milionário.

O amor da minha vida tem, mas a casa grande e os dois ou três cachorros ainda nem sonham em despontar no horizonte - um apartamento pequenininho e de caridade maternal parece ser o mais provável, e ainda assim beeeem distante.

As viagens - melhor nem comentar. Talvez eu precise mesmo fazer o Caminho de Santiago para ver se vem um revelação para mim do que devo fazer da vida.

Citando a minha enfermeira preferida: "A gente estudou, trabalhou, se dedicou, foi exemplo... e quaaaaaaaal a nossa recompensa? Mais estudo e mais trabalho???"

Parece que sim. Ter estudado, formado, graduado, pós-graduado, trabalhado e economizado... Só faz parecer a vida dos "que não querem nada da vida e não tem onde cair duro" parecer mais divertida. Sim, as cigarras se divertem enquanto as formigas trabalham, e quando o inverno chega as formigas estão quentinhas e as cigarras morrem de frio - não era assim a fábula? Ó Deus, onde está esse inverno, então? Eu me sinto como se estivesse dentro de Westeros e vivesse escutando os Stark falarem que "O Inverno Está Chegando", mas o outono parece interminável!!

Também não me parece que fazer um monte de merda e coisas inconsequentes sejam o caminho certo, mas vejo um monte periquetes e "muleks piranha" irresponsáveis, sub-celebridades sem talento algum, mulheres-fruta e gente "vida loka" aproveitando muito mais a vida do que eu, que fico enxugando gelo tentando enfiar uma língua na cabeça de uns que deveriam tentar no máximo jardinagem.

Bom, pode ser que eu tenha visto filme da Disney demais e novela violenta e sem conteúdo de menos e não esteja tendo uma idéia realista da vida. Pode ser não, eu vi filme da Disney demais, mas tenho esperança que a vida não se pareça em nada com a novela das 9h - isso não está certo e não é justo.

Enfim, não quero mudar de emprego, nem de amor da vida, nem de jeito de entender que as coisas tem que ser, então o que me resta é continuar na mesma trilha e torcer pela inversão das estações. Será que nos próximos 4 anos isso acontecerá? Qualquer coisa que faça passa "disso", talvez? 

Enquanto isso, espero pelo dia do "parabéns para mim" sem muita vontade de celebrar, mas com uma vontade bem grande de comer bolo!

quinta-feira, setembro 20, 2012

Amizades

Um tema polêmico, para mim, sempre.

Escutei um podcast esse semana que me fez refletir, e eu também já vinha refletindo sobre isso desde umas semanas atrás, desde o final de semana dos fatídicos dois casamentos em um dia, um de manhã no Leblon e outro de noite em Cabo Frio.

Os dois casamentos em um dia - qualquer semelhança com o filme "Vestida para Casar" não é pura coincidência" - foram dois opostos:

No da manhã, pequeno evento, só 50 convidados, sou amiga da noiva, que conheci no colégio, e os amigos da noiva convidados eram todos os meus amigos do colégio, pessoas que eu gosto e estão no meu coração, por mais que eu veja mais no Facebook do que na vida real, são pessoas que eu considero, me interesso, desejo bem, gosto de estar junto e me sinto à vontade. No da noite a noiva e o noivo também estudaram comigo.

Percebem a diferença? "Amigo de colégio" X "Estudou comigo"? Vamos dizer que 80% das pessoas que frequentaram mesma escola que eu estavam lá, mas a primeira coisa que eu fiz ao entrar na festa foi agarrar o Ty pela mão e dizer "Não me deixa sozinha". Claro, isso e nada foi praticamente a mesma coisa, e lá fui eu passar a noite socializando no melhor estilo "mulher de candidato à eleição" possível, conversando sobre nada e coisa nenhuma elevadorísticamente com vários, à exceção do meu ex-professor de Geografia (grande figura, sempre presente, um super querido mesmo), dois amigos meus que estavam lá e um ou outro indivíduo que eu não via há tanto tempo e que gostei de reencontrar - mas provavelmente o contato mais verdadeiro da noite foram as sms que eu troquei com a Advi reclamando de que queria ter ficado no primeiro casamento, rs...

No dia seguinte teve um churrasco na casa de um outro amigo meu e só ia dar "a gente" mesmo se não tivessem vindo uma surpresa agradável e outra nem tanto - daí vem as reflexões sobre amizade.

No podcast os caras comentavam que os seus amigos do colégio não era os seus amigos de verdade. Os seus amigos de infância são amigos de ocasião, relações nascidas de uma coincidência físico-temporal, geradas pelo acaso e outros fatores caóticos variantes que determinam um "coleguismo" inicial de situação que, a príncipio e em princípio, pela juventude do indivíduo, não deve ser considerado uma amizade verdadeira. Essas pessoas que você considera os seus amigos de infância/adolescência podem ou não se tornar seus amigos de verdade depois, quando você e eles amadurecem (*). É como uma regra dos 15 anos para amizades. Não, é a pura aplicação da regra dos 15 anos nos relacionamentos. É provável que nunca antes na história desses país eu tenha escutado uma definição melhor das minhas amizades.

Eu definitivamente sou ótima em fazer sala e social, mas isso vai me dando um ânsia de vômito por dentro depois de um tempo. Se a pessoa realmente não me interessa, eu não curto ter que ficar convivendo com ela seguidamente - me incomoda. E olha que eu tento buscar qualquer ponto de identificação, mas tem coisa que simplesmente "não bate o santo", por mais que você consiga engajar uma conversa até divertida, é aquela coisa da situação, não é como se você chegasse em casa pensando em repetir a dose, o "sentimento" não é verdadeiro, mas também não chega a ser "falsidade". É só uma "incompatibilidade". Me irrita muito ter que, por causa do namorado e de outros amigos, conviver com pessoas que eu já estou há anos tentando mas a amizade não rola.

Das minhas amizades de infantolescência, poucas resistiram. Algumas a distância separou, mas o sentimento de bem querer continuou. Outras foram afastamentos naturais mútuos decorrentes do "envelhecimento", graças a Deus nenhuma foi por briga e outras se tornaram insustentáveis por mai que ambas as partes se gostem, a química acabou, como aquele casamento que vira amizade, só que quando é com amizade ela vira uma amizade, só que sem amizade - estranho, eu sei, mas eu tenho uma assim. Agora o difícil mesmo é que aquelas pessoas que nem nesse começo da sua vida era suas amigas venham a se tornar qualquer coisa do tipo. Não que seja impossível, mas é bem difícil. Se você não teve nem uma conexão inicial instintiva com certa pessoa, como esperar que racionalmente ela se torne parte da sua vida. Você pode até tentar, mas eu acho extremamente complexo rolar.

Ao mesmo tempo, tem pessoas que você reencontra e percebe que as pessoas que vocês eram lá atrás não combinavam, mas as que vocês são agora podem se dar bem, sim. Isso pode ou não virar uma amizade verdadeira, mas no meu caso isso sempre acaba sendo só uma agradável surpresa, que me faz feliz.

E sabe por quê? Porque eu acho que ninguém precisa que todas as suas amizades sejam verdadeiras! De boa? Umas 5 pessoas tá bom! Eu devo ter uns 10 que eu considero amigo de verdade, mesmo. Mas se fosse para "chamar alguém para te ajudar a dar fim num corpo" - esse era o critério do podcast - hummm... Eu sou amiga de verdade o suficiente e assisti "Detetives Médicos" o suficiente para saber que o melhor é resolver sozinha!!!!!

Isso tudo porque estou vendo que vai rolar um revival dos tempos do colégio com o meu namorado e outro amigo meu, que estão num humor nostálgico-saudosista do caceta desde do casório. CDFs como eu tem uma visão muito mais realista da vida, e tem amigos muito melhores depois que saíram do colégio, definitivamente - amigos de verdade. É isso que acontece com a "garota patinho-feio" que começa a namorar com o "cara mais popular da escola" nas comédias românticas americanas: Depois que passam os créditos finais, ela se vê forçada a conviver com todos aqueles que não ligavam para ela tanto quanto ela dava importância para eles - aja paciência!

A única coisa que me deixa menos sem saco de ter que conviver com essa galerinha é ter a comprovação que o patinho feio sempre se torna o cisne, mas os patos continuam sempre os patos. Ai como isso faz bem pro ego!!


(*) só deixando claro que o podcast foi super engraçado e eu que resumi a conclusão de maneira tão metódica e cansativa!

sexta-feira, setembro 14, 2012

Você Pina como eu Pino?

Hahahaha que piadinha mais INFAME, mas tinha que fazer, hahahaha!!!

Eu estou VICIADA no Pinterest, muito mesmo! 

Todo dia dou um jeitinho de entrar, dar uma pinadinha, ou só mesmo uma olhadinha...
Só que "uma olhadinha" no Pinterest nunca é só uma olhadinha... quando você vê já está há três horas rolando a página para baixo sem parar, e os Pins nunca acabam! Tem cada um mais legal do que o outro! Comecei a colocar as melhores pinboards nos meus feeds do Google Reader para poder olhar com calma as coisas que me interessam - já dividi umas 20 categorias diferentes de temas que eu curto! Muito legal mesmo!

Não só o Pinterest, mas o Pinspire também me cativou, apesar de nele, eu só observar, não pinar nada. O Pinspire é uma cópia deslavada do Pint, mas muito bom também - quanto variedade mais melhor! Além disso também tenho visto o WeHeartIt, mas acho que o layout desse não é muito prático e acabo olhando menos, apesar de ser bem bacana!

... ... ... ...

Passei essa semana de "adaptação" ao retorno dos meus queridos genitores tentando reorganizar minhas coisas para que fiquem contidas e arrumadas e abram espaço para as coisas de mais duas pessoas. Explicando-me: Desde que mudei para meu atual apto utilizo o meu quarto e a suíte dos meus pais a vontade, tanto para dormir quanto armazenar as minhas coisas - eu tenho muitas coisas. Na verdade, eu tenho ainda mais coisas do que as que estavam harmoniosamente distribuídas nos dois cômodos - e essas coisas estão lá em Cabo Frio ainda, o que muito me preocupa - um dia terei que arrumar espaço para elas também... Mas primeiro o que vem primeiro, o que já está aqui! Passei a manhã inteira tentando "dar um jeito" e me conscientizei que algumas coisas tinham que ser empacotadas e eu provavelmente só sairão de seus esconderijos para minha própria casa. Deu um trabalho considerável, mas consegui reordenar tudo e ainda deixar bonitinho!

... ... ... ...


Falta menos de um mês pro meu aniversário e eu ainda não sei o que fazer - festinha, churrasco, nada... aiaiai!




quarta-feira, setembro 12, 2012

Nesses últimos dias...

Teve o final de semana de feriado prolongado mais agitado do ano...
(Almoço Blogueiro, Show da Alanis Morissette, Sábado e Domingo Blogueiro...)

Teve a mudança efetiva da minha mãe para Nkt...
(Como é estranho voltar a morar com os pais depois de 7 anos sem!)

Teve a saudade sem fim do namorado...
(Que ainda não matei!)

Teve pé na jaca gastronômico e sono acumulado...
(Tentando compensar os dois!)

Aiaiai, foram mesmo só 3 dias de feriado? Pareceu 1 semana!

quinta-feira, setembro 06, 2012

Eu tenho tanto pra te falar...

... que até me dá preguiça de dizer...

Maaaas, como é grande o meu amor por este bloguinho me sinto compelida a vir aqui me declarar, contar a quantas anda a minha vida...

Desde a última postagem, muito mudou!

Mudou o meu cabelo, que, como os meus principais leitores já sabem, agora está curtinho! Foi a realização de uma vontade antiga que, na sexta passada, tomada por um ímpeto, concretizei, dando adeus a mais de 15cm de madeixas que já estavam atazanando a minha vida.

Desde então estou totalmente satisfeita com o resultado, que é muito prático e eu achei estiloso também - além de ter a manutençāo muito mais barata! A parte que "sobrou" é a que está menos maltratada do tempo e de química, portanto tem um aspecto muito mais saudável e natural. Claro, está relaxada e se eu não passar nenhum produto especial fica lisa, mas só um poquinho de mousse já deixa ele todo enroladinho. E, essa semana eu já não precisei lavar 2 vezes, o que realmente faz um bem considerável às madeixas - eu estava tendo q lavar todo dia, aja saco!

Mudou também a minha mãe, de cidade. A permuta dela saiu e a partir do dia 10 ela vai voltar a trabalhar no Rio, e vai vir morar em Niterói, comigo!

Ainda não sei exatamente qual serão as implicações práticas disso porque a casa em CF ainda não foi vendida e meus pais ainda não estão muito decididos no que fazer quando isso acontecer, pois os meus avós maternos tem que voltar para cá também mas não querem, um drama danado... 

Mas eu só consigo ver benefícios, agora vai ter sempre comida em casa e é provável que eu nunca mais precise ficar figiando quanto falta para acabar qualquer coisa, rs... O carro vai vir morar com a gente também, e provavelmente quando for trabalhar em Itaipu poderei usá-lo, caso esteja livre! Fora que a minha mãe está muito feliz com isso e tenho certeza que vários dos problemas de saúde dela vão melhorar!

Bom, na verdade foi só isso que mudou, mas isso são duas coisas MUITO significativas!

sexta-feira, agosto 17, 2012

Aos poucos

Tomei coragem para mudar a cor dos cabelos, mas claro, nada radical.

Claro que eu não vou virar Strawberry Blonde como eu gostaria, mas... aos poucos testando umas cores e vendo qual é... quem sabe um dia?

O meu cabelo é muito desbotado devido aos tratamentos químicos que eu faço. De tanto relaxamento e escovas de selagem acabou ficando com um tom meio acinzentado de castanho, desbotado, envelhecido mesmo.

Daí vi a propaganda do tonalizante L'Oreal Casting Creme Gloss e pensei: "Parece ser bem fácil e prático. Também só dura, segundo propaganda própria, 28 lavagens, ou seja, não é nada definitivo ou irremovível. Hummm... Por que não?"

Então comprei! Escolhi uma cor mais ou menos parecida com a minha original, só que mais "quente", para ver se dá uma alegria no meu cabelo morto: a Mel Tabaco. Comprei semana passada e apliquei hoje. O processo foi realmente bem simples, nada que exigisse muito profissionalismo. O resultado ficou bem bacana. Ainda estou com o cabelo molhado então não tem como colocar foto (colocarei depois!), mas estou MUITO satisfeita. Minha primeira vez - agora meus cabelos não são mais virgens de coloração! E eu já estou aqui pensando no próximo tom que vou colocar... está aberta uma nova era na minha vida!

Ah! Decidi que não vou mais relaxar os cabelos também, vou deixar ao natural... Já faz tanto tempo que ele não é mais natural que eu nem sei como é mais... Há uns 7 anos que é artificialmente esticado, de repente ele nem é tão ruim e intratável como eu me lembro... Quando comecei a tratá-los não haviam tantas opções para cabelos cacheados disponíveis como hoje... vou ver qual é nesse aspecto também!

Aiaiai, agora só falta a coragem do corte: Eu quero cortar, quero mais na altura dos ombros, maaaaasss... Ainda não estou preparada para isso. Vivo falando que vou cortar, mas acabo peidando na farora! Um dia, um dia... 

segunda-feira, agosto 06, 2012

Os mais-do-que-alunos

Os mais-do-que-alunos são os melhores alunos que eu tenho.
Não são todos brilhantes, mas são todos bons alunos.
São todos especiais.

Os mais-do-que-alunos foram os mais esperados desse primeiro dia de aula.
Foram os únicos esperados.
Foram os esperados de verdade.

Os mais-do-que-alunos são os que eu tenho vontade de só conversar.
Me fazem rir de verdade.
Me interessam.

Os mais-do-que-alunos realmente fazem a diferença no meu dia.
Eu os encontraria um dia qualquer só para falar bobagem.
Eu ia curtir fazer qualquer coisa com eles.

Os mais-do-que-alunos são engraçados, cada um do seu jeito.
Me fazem rir de verdade.

São gente finíssima.

Os mais-do-que-alunos são os que eu mais me dedico para fazer o melhor possível.
Para fazer o mais legal que dê para fazer com o que eu tenho que fazer.

São os que importa se gostam ou não de mim.

Os mais-do-que-alunos me lembram dos meus amigos de hoje.
Me lembram dos meus amigos de hoje na idade deles.
Me lembram de mim na idade deles.

Os mais-do-que-alunos um dia não vão mais ser meus alunos.
Já são meus alunos a mais de 2 anos.
Eu vou morrer de saudade.

Os mais-do-que-alunos são meus esse semestre.
Meus preferidos declarados, talvez seja a última vez.
Mas ainda não!

quinta-feira, agosto 02, 2012

Loira Morango

Eu tenho complexo de Pequena Sereia - não, não saio cantando por aí, apesar de colecionar cacarecos - mas é o cabelo. Red Heads... gotta respect! Esse complexo ficou mais intenso depois de ver Valente - uma princesa ruiva e descabeladamente cacheada? OMG!


O fato é que eu sempre quis ser ruiva, mas acho um privilégio para poucos. Nunca saiu da minha cabeça, no entanto, esse desejo. E agora descobri a cor que eu acho ainda mais sexy do que o ruivo. É o STRAWBERRY BLONDE! Eu tenho queria ter o cabelo assim: Meio ruivo disfarçado de loiro - LINDO!


Ai que lindos esses cabelos! Até já vi como que eu teria que fazer para ter essa cor (aqui), mas tenho medo! Até porque eu sou muito morena para essa cor - acho que ia ficar super esquisito!

Primeiro estou me preparando para cortar o cabelo, deixar o mais original possível. Não vou mais fazer relaxamento até o final do ano e depois vou cortar bastante - já estou de saco cheio desse cabelão doido!

terça-feira, julho 31, 2012

Advi Catarina


Hoje é o seu aniversário, minha amiga, e eu tenho que te desejar um super parabéns.

Mas antes eu preciso confessar: 

Há (agora muitos) anos atrás, quando eu te vi pela primeira vez, eu achei que você era uma boba alegre. Sério, essa foi a minha primeira impressão de você. Espalhafatosa, criançona, sei lá, não tinha muito a ver comigo.

O tempo passou um pouco e eu comecei a achar você ainda exagerada, mas divertida. Enfim, a velha de cabeça sou eu, você provavelmente era exatamente o que deveria ser: Uma jovem mulher cheia de energia. Mas sei lá, saltitante demais? Ainda achei por um tempinho que a grande coisa que tínhamos em comum era a idade ser próxima.

Mas aí, o tempo passou mais um bocadinho. Aos poucos, conhecendo mais, me aproximando mais de você, eu comecei a pensar que aquela primeira impressão foi totalmente equivocada. Não demorou muito para ter certeza disso e saber que você não tinha nada de boba e que sim, era muito alegre. Contagiantemente alegre. Irresistivelmente saltitante. Pronto, fui conquistada.

E foram muitos momentos felizes com a sua presença.
E foram alguns momentos quando eu estive mal algumas vezes e você me ligou, e a sua voz foi um alívio.
E foram muitas fotos "sempre tem que ter a nossa foto" e conversas sobre princesas e príncipes, e T(h)iagos, e planos, e expectativas, e opiniões, e sonhos.

Amiga, hoje eu sei que você é uma das pessoas que tem um lugar super confortável e intransferível (e com decoração de EuroDisney) dentro do meu coração, e que eu não consigo imaginar a minha vida com você fora dela.

Espero que você seja muito feliz, e não só hoje - SEMPRE.
Espero que você seja minha madrinha, e que eu seja a sua, e que você tenha uma filha chamada Aurora e eu por fim acaba tenho uma chamada Ariel e elas sejam amigas também.
Espero ter você como amiga para sempre. 

FELIZ ANIVERSÁRIO!



* Não repara o humilde "scrap"! O que vale é a intenção

sábado, julho 28, 2012

Mais capitulações

Quebrei a cabeça mas consegui colocar um Pinterest Feed genérico ali no ladinho, graças ao tutorial encontrado no Code It Pretty e a muito fuxicar o código alheio para entender exatamente o que mudar!

Com mais algumas horinhas consegui colocar os ícones de mídias sociais ali no perfil mas não consigo entender porque a minha foto do perfil do G+ (que está integrado ao do Blogger) não aparece neste blog aqui. Será que só eu que não vejo? E para não arriscar a p***a toda de novo upei todas essas coisas pro Photobucket. Aff, é tanta coisa!

Agora também aceitei o TweetDeck e o Instagram na minha vida. Uma vez a Micha disse que a Lulu disse que Twitter só dá para usar com o Deck e as duas estavam certas. O Instagram foi depois de ouvir tanto falar o quanto você se distrai vendo fotos quando não tem nada para fazer e é verdade - não tenho muita paciência de tirar foto de qualquer coisa, mas adoro ver fotos aleatórias.  

... ... ...

Última dias de férias em Cabo Frio.
Um dia não vai ter mais essa casa para vir, mas para CF eu vou continuar vindo. Ainda não sei como, para onde... só sei que sim.

terça-feira, julho 24, 2012

Bandeira Branca

Me rendi.

Ao Google Chrome. E ao ITunes.

O Chrome porque, a princípio, dá para burlar o Google Play com um aplicativozinho muito bem bolado. Daí você vai usando uma vez ou outra e quando vê já está usando direto esse navegador, perdeu o preconceito e pá: se rendeu.

O ITunes porque, primeiro: Não precisa ter Ipod, Ipad ou Mac para baixar, é só ir lá no site e pronto, de graça você faz o download. Não dá para usar TODAS as funcionalidades se você não tem o ID Mac, mas dá para usar quase tudo que qualquer outro player tem e o que eu queria acima de todas as coisas: Com ele você assina o feed dos podcats que você escuta e ele baixa tudo automaticamente pro seu computador, não dá o menor trabalho. Para quem assina muuuuuuuitos pods como eu, isso é melzinho na chupeta. 

Agora que fiz esse layout simples achei tão bonitinho que pensei que será uma boa ter sempre um lay assim, uma das opções que o Blogger mesmo dá. Tem tantos tão bonitos... Agora pena que não tem uns widgets tão bacanas quanto o Wordpress... Eu queria muuuuuuuuito botar o Widget RSS do Pinterest - Shame on you, Blogspot!

quarta-feira, julho 18, 2012

TUDO NOVO de novo...

Bom, esse é o novo lay do blog.
Eu definitivamente não tenho saco nem criatividade e nem bom gosto para HTML e vai ficar assim mesmo.

Você decide que quer simplificar as coisas e aí, não só você não consegue como também você acaba fu***** um monte de coisa. E aí você percebe o quão à mercê de uma única coisa toda a sua vida parece estar.

Alguém já reparou o quanto o Google sabe da sua vida, sem você saber? 

Eu exclui duas contas google que tinha e assim, sem querer, o meu histórico web foi apagado e por isso TODAS as imagens desse humilde blog foram perdidas - e eu sinceramente não vou colocar nada de volta, fala sério, né?

O Google assumiu todas as coisas que eu tinha e eu não percebi, e aí quando fui deletar a conta, eu estive a um milimetro de perder tudo o que eu tenho - esse blog, conta do Youtube, Facebook, Android Market, e tudo mais que eu pudesse imaginar. Desassociar tudo foi um PARTO e eu tive simplesmente que deixar para trás alguns serviços menos utilizados - agora não tenho mais Orkut e uns outros, rs - mas por fim, com alguns arranhões, consegui resolver o mais importante e reduzir tudo a uma única conta.

E, depois de ter hackeado e acidentamente matado o meu celular duas vezes, tendo sido necessário que eu ficasse acordada algumas madrugadas pesquisando uma maneira de consertar as cagadas e ser bem sucessida ás custas do meu sono de beleza, tive que resetar o celular todo de novo porque ele TAMBÉM estava associado às contas apagadas, e você não pode simplesmente desligar e ligar, você tem que rebootar o bichinho e apagar tu-di-nho que tem nele para começar do zerinho de novo. 

Por isso que quando vi que o blog tava todo tronchinho, nem exitei, coloquei esse lay simplíssimo e cá estou, tocando pra frente.

Ah, mas o ponto é... o tal do histórico web do Google... rapáááá... você acha que apagando o histórico do pc e do navegador está se livrando desses dados? Dê uma olhadinha lá no seu histórico e descubra que o Google sabe todas as coisas que você vez, viu, pesquisou, comprou, abriu... você tem estatísticas tão detalhadas dos seus acessos que é assustador o tipo e a quantidade de informação retida.

Well, that's it for today! Depois tem mais sobre essa minha redução virtual.

quinta-feira, junho 28, 2012

Feira das vaidades...

Não. É mais para FARMÁCIA das vaidades.
Eu adoro uma farmácia e esse post é para fazer umas recomendações e dar umas opiniões sobre produtos adquiridos nelas ultimamente.

Todo mundo sabe que eu e o meu cabelo temos uma relação muito difícil. Somos obrigados a conviver fingindo que nos gostamos, mas não é todo dia que dá para disfarçar. A culpa é minha, que não o aceito como é, mas é dele também, que não quer abrir nenhuma concessão para as minhas necessidades. Eu tenho suborná-lo, mimá-lo, mas ele não dá o fio a torcer, ou melhor dizendo, não deixa de torcer o fio.

Eu já quis liso e ele não baixava nunca, e agora eu quero cacheado e ele cisma de murchar tanto que as vezes eu até penso que ele faz de propósito, ficando todo esmelinguido só para me irritar.

Mas nada tema, luta diária, pois JOHN FRIEDA CAN DO NO WRONG. Esse - seja lá quem for - é o meu mais novo knight in shining armour. Descobri uns produtinhos maravilhosos na contenção da rebeldia da minha cabeleira, e, se fossem mais baratinhos, usaria ainda mais produtos da linha. Eu comprei os seguintes:


Mousse para cabelos cacheados , spray para remodelar os cachos e um gel que, believe it or not, não deixa os cabelos duros, com cara de que passou gel. A mousse já tinha usado antes e comprei de novo, é ótima. O spray é muito bom, mas como é líquido não vai durar muito, e eu não devo repor, pois aja $$! O gel é o the best, porque o cabelo fica super bem modelado e macio. Amei essa linha, queria tudo dela! Pena que não é pro meu bico viver disso. 

Humildemente procurando outras opções, por indicação de uma outra conhecida cacheada que eu tenho, conheci dos produtos da ECOLOGIE. Olha, valem muito a pena. São muito bons mesmo. Já usei shampoos, condicionadores, óleo reparador, creme esfoliante e agora estou testando o creme anti-celulite. Essa marca é um achado porque os preços são super acessíveis e a qualidade é muito boa. Eu aprovo e recomento. Os que tenho usado são esses:




Agora o que eu não achei nenhum oásis de revitalização capilar foi o tal do óleo de argan. No meu cabelo não deu um resultado tão incrível, e olha que eu usei o da Morrocan Oil e o da Novex (hehe os extremos de preço), mas nenhum cumpriu o que prometeu, foi "regular". O cabelo fica macio, mas se passar pouco fica todo sem forma e se passar mais para mim fica super oleoso. Tentei, tentei, mas não achei meio termo. O jeito foi misturar os dois e usar de creme de hidratação, que aí sim fica bem legal o tratamento.

Para encerrar esse post sobre estética em geral, só comentando da coisa mais mulherzinha do mundo que eu comprei: Um porta maquiagem giratório. Lindo, fofo, perfeito. Dá até vontade de comprar mais maquiagem, pena que eu não uso muito além do básico. Olhem que legal. Achei muito prático, tô in love por ele!




E por hoje é só!

terça-feira, junho 26, 2012

Dá vontade de falar para eles que...

"Dona Mãe, a senhora tem que entender que professor não é adestrador. Nós só trabalhamos com seres humanos, para lidar com bicho infelizmente ainda não estamos capacitados."

"Chefe, a pessoa X é uma fofoqueira de marca maior e resolveu que é para mim que vem contar todas as coisas, o que me enche o saco, mas eu continuo fazendo cara de paisagem para não incentivar, mas queria dar um passa fora nela. Alguma chance de ela não trabalhar mais aqui?"

"Menino, toda vez que eu te escuto cantando algum funk em apologia ao crime e tráfico eu fico em dúvida se rezo para que isso nunca te aconteça ou se desejo que você passe por algo do tipo para aprender. Tá, confesso, é mais a segunda opção mesmo." 

"Menina, espero que você dê logo pro primeiro aparecer para ver se esse fogo na periquita abaixa e abre um espaço na sua cabeça para qualquer outra coisa."

"Menino, na boa... Sua existência só tem coisa negativa para acrescentar ao pool genético. Se não vai pular da ponte, pelo menos dá para considerar castração?"

"Você é tão gente boa que eu queria que fosse fosse minha amiga, mesmo."

"Eu gosto tanto de você, mas porque você não pára de dar tanta ênfase aos seus problemas? Eu sei que é complicado, mas já parou para pensar que talvez seja você que se envolva demais e por isso se estresse? Como pode uma pessoa tão bacana só ter coisa ruim para falar?"

"Ver que você está gorda e eu estou magra me deixa feliz. É, eu fico feliz com o fato de você estar uma balofinha. Gorda, baleia, saco de areia. Tinha que ter uma foto sua gravada no meu cel para olhar toda vez que rolasse um desânimo, rs..."

Aiaiaiaiai como é difícil ser uma lady.

sexta-feira, junho 22, 2012

Menos é mais


Eu cheguei a conclusão que, em algumas situações, de fato o melhor que você pode fazer é querer menos.
Minha tendência é sempre achar que isso é coisa de quem pensa pequeno, tem a cabeça fechada, é acomodado ou não tem força de vontade, mas eu estou procurando rever alguns aspectos dessa tendência. 

O mundo no qual vivemos tem essa cultura do "muito", do "mais", do "tudo", do "agora"... isso às vezes me incomoda, porque bate aquela frustação de que "eu não consigo", "não dá tempo" ou bate um cansaço e um desânimo só de pensar em tudo do "mais" que está faltando ou por fazer. E também rola aquela máxima "eu consigo, mas vou ter que sacrificar X", e algumas vezes, o "X" é algo do qual não se deveria abrir mão. 

Volta e meia me pego pensando nisso. Após certa meditação sobre o assunto, resolvi que poderia ser bom humildemente aceitar que não dá para abraçar tudo e abarcar todas as coisas, e que de repente pode ser melhor descer alguns degrais, deixar por menos, mesmo.

Os japoneses, chineses, koreanos, enfim, uns olhinhos puxados desses, tem uma teoria - que eu acho que pode ter a ver com o tal do feng-shui, se eu não estiver me confundindo - de que ficar acumulando coisas velhas e inúteis atrapalha a vida e não abre caminho nem espaço para coisas boas e novas. E também que tem coisas que você realmente não precisa - não só coisas: tem pessoas que você não precisa, tem situações que você não precisa, tem desejos que você não precisa, você só acha que são necessários, mas no fundo tem importância zero e a ausência dos mesmos não fazem a menor falta. Você tem medo de perder alguma coisa ou de não ter alguma coisa, mas quando vier a perder e realmente não tiver, perceberá que essa gana era só ilusão, criada provavelmente pelas suas próprias exigências misturadas com o jeito que a nossa sociedade é construída.

Agora instituí de vez que, qualquer coisa que eu comprar e não gostar, não servir ou não quiser mais, vou dar imediatamente. As coisas que eu comprei, não usei e não gostei já me desfiz. Sempre doei roupa, e agora também distribuo cosméticos, revistas, bugingangas de todos os tipos. 

Joguei fora - com dor no coração, admito - um monte de caixinha, potinho, embrulhinho, vasinho... coisas fofas que ocupavam espaço e eram, factualmente, sem uso nenhum. Adesivinhos, papelzinhos, coisinhas fofinhas de papelaria que fui juntando ao longo dos anos... dei tudo pros meus alunos. Maquiagem que eu tinha uma porrada, levei tudo pro meu trabalho, botei numa cestinha e disse "quem quiser pode levar, é semi-novo e eu não me adaptei com os produto"... em menos de 5 minutos tudo tinha tomado destino, já. ÓTIMO! Se eu não vou mesmo usar, fiquei muito satisfeita de passar para quem o fará! E o material do trabalho em casa? Parei com isso, não trago nem carrego mais. Baixei e-books dos livros que uso, scaneei os que não achei e pronto, me livrei de mais um peso. 

Na mesma onda deletei um monte de foto uma-igual-a-outra que eu tinha no meu pc. Ninguém precisa ter um milhão de fotos do mesmo ângulo do seu próprio rosto ou de algum lugar. Selecionei um monte de imagem desnecessária e irrelevante e apaguei sem dó. Há uns anos já que eu mesma não tenho câmera de fotografar e me dei conta que não fez falta nenhuma. Muitas das coisas não tem que tirar foto. Muitos momentos você tem que apreciar, viver, e não ficar posando. É uma libertação. Claro que há coisas que devem ser registradas, mas não de 5 pontos diferentes com 3 tipos de flash e 300 do mesmo minuto.

Também esvaziei a pasta de um monte de música que eu nunca ouvi na vida - é claro que eu não tenho obrigação de baixar o cd inteiro de alguém que eu só curto uma música, eu mal tenho tempo de ouvir música! E não é só porque eu gostei do trabalho do artista X por um tempo que eu tenho obrigação de gostar para sempre, acompanhar sempre. Se eu não curto mais que ele/ela faz atualmente, perfeito, eu posso continuar ouvindo o que eu gostava, sem grilo. Se pouquíssimos artistas do cenário atual me atraem, tudo certo, vou escutando os mesmos de antigamente - o que tem se tornado uma constante, até.

Tirei 2 dias de manhã do horário do trabalho. Eu sempre "não trabalhei" duas manhãs, primeiro por causa da faculdade, depois pela pós e depois porque eu trabalho até 21h! Que horas dá para fazer outra coisa, resolver problema, ir a médico e banco? Estava com as quatro manhãs ocupadas e o financeiro não compensa tanto quando tê-las livres para tratar de outros assuntos. 

Voltei para a dança do ventre, como disse, para a turma mais cedo, de iniciantes. A professora quis me matar, mas eu amei. Eu não vou ser professora de DV, vou lá só para me divertir mesmo, e quero curtir, não estou em fase de querer só coisas avançadas, profisssionais. Fui no basicão e me realisei, sempre bom relembrar, rever, reaprender, e agora, finalmente sem grandes demandas na minha vida de dançarina. Esse ano também não me apresentarei - meu bolso agradece e meu fim de ano será menos atribulado!

E assim vou indo...
Só uma coisa não admito: "No such thing as too many books!"

sexta-feira, junho 15, 2012

GAROTO ORTOBOM

Um terço da sua vida você passa com ele!

Nhá, gostei da minha própria piada e resolvi usá-la para começar o post marcando os 9 anos do dia 14 de Junho de 2003 - o dia no qual eu e Thiago ficamos pela primeira vez! (E que foi ontem, rs...)

Eu acho um dia super importante na minha vida e apesar do próprio bater o pé pela preferência pelo dia 21/10, no qual começamos a namorar oficialmente, eu nem ligo, porque se não tivesse tido esse dia não teria tido pedido nenhum 4 meses depois - homem não entende nada mesmo.

Na verdade é um pouquinho mais de um terço, mas eu não tinha me dado conta disso antes, sabem como é, matemática... mas enfim...

Digníssimo namorado, obrigado por estar na minha vida e de nada, estou na sua vida exatamente porque você faz o mesmo por mim. LOVE YOU um muitãozãoção!


domingo, junho 03, 2012

Exame de vista?

As pessoas vivem me dizendo como eu estou magra e eu realmente não vejo isso.
Sério.

Mesmo quando eu estava com 59kg, eu não achava que era para tanto. Eu não achava que era realmente tão diferente de 69kg. Eu sempre olhei no espelho - e continuo olhando - e vendo uma gordinha. Será que eu tenho problema de vista? Eu de fato não acho que eu esteja magra agora, especiamente agora com 62.6kg.

Quando me elogiam, eu agradeço e concordo. Eu sei que eu estou bonita, eu sei que eu sou bonita - mas não acho que é isso tudo. Sem falsa modéstia. Não estou pedindo por elogio, não estou fazendo charme ou doce. É verdade mesmo. Eu acho que eu sou bonita, mas eu já era antes, com 10kg a mais, e isso não mudou. E eu realmene acho que eu continuo gorda, não acho que eu seja magra. 

Eu penso que realmente existem poucas pessoas verdadeiramente feias, a maioria é apenas mal vestida, mal maquiada, mau acabada, mau ajambrada, cansada, gasta pela vida.  Quando eu falo "como esse mundo tá cheio de gente feia", a verdade é que esse mundo está cheio de gente que não tenho tempo, nem dinheiro, nem condição e nem entendimento - e as vezes nem vontade - de ser bonita. A maioria das pessoas tem beleza, mas está escondida.

Ser magra e ser bonita para mim são duas coisas bem diferentes. Todo mundo fala "Nossa, você está bonita, está magra." Bom, eu particularmente só emagreci, não fiz plástica na cara e mesmo com 69kg já tratava do cabelo. E, sério mesmo, eu só estou "mais magra", não estou "magra". 

Rs... Provavelmente as minhas bisavós diriam o contrário - segundo testemunho de uma prima minha ex-gorda também, a mesma sempre escutava da minha bisa materna, quando ainda era lúcida, a seguinte frase "Vem cá, deixa eu te ver: Nossa, tá bonita, tá gorda, tá cheia! Tá comendo bem, hein!". As minhas avós também acham que eu era mais bonita gorda, é mole? Hehehe Como a sociedade e a sua perspectiva mudam!

Assim, retomando o raciocínio: Eu olho no espelo e olho, e olho, e continuo vendo uma gordinha.Não acho isso feio, é só um fato - a minha imagem é rechonchuda como sempre foi. Será que um dia não será mais? Será que eu dia esse processo acaba? Eu sei que eu vou vive de dieta para sempre, mas será que um dia eu vou achar que eu agora "estou magra de verdade"? Ou será que vou ter sempre olhos mais rígidos sobre mim mesma do que todos os outros?

Well, prometo que agora mudo de assunto. Três posts seguidos sobre dieta é flórida! 

No próximo post viro o lado desse disco - alías, taí um bom assunto para falar! Todo mundo se lembra do disco? Hehehe eu sou da última geração que teve LP e cassete, é mole? Meus alunos não sabem o que significa a palavra "reboninar", eles já nasceram com CD e DVD, rs...

BJOS!

 


... Agora bateu uma saudade da bisa. Quando eu era bem criança era era lúcida ainda, e eu me lembro que era era engraçada, ria gostoso, mas era "esquecida". Mas depois passou muuuuitos e muitos anos perdendo a lucidez até que se foi. Esse processo durou tanto tempo que quando aconteceu por fim nem foi surpresa, já era muito esperado. Eu praticamente cresci sabendo que a bisa estava "quase indo", então foi quase como se ela já não estivesse aqui bem antes de factualmente não estar, mas mesmo assim, agora bateu uma saudade. Vale relatar que com a ausência da matriarca houve um grande movimento de reunião familiar. Todo mundo, acho, ficou com tanto medo da família se perder, se soltar, que agora tem muito mais festa e encontro na minha família por parte de mãe - mais até do que quando a bisa era viva, e eu acho que isso é o maior tributo à sua vida!

... ... A minha outra bisa materna (eu tinha duas porque os meus avós são primos de primeiro grau!), a mãe da minha avó, eu não me lembro nada. Praticamente nada. Eu era bem menor quando ela morreu, mas ela era bonita. A minha avó materna também era muito bonita. Pena que eu não puxei nada desse lado da família, saí toda para a família do meu pai!

sexta-feira, junho 01, 2012

Ventre

Eu acho que ter parado de fazer Dança do Ventre é um fator determinante para eu ter voltado a engordar. 

Não que o gasto calórico da atividade tenha sido o maior responsável pelo meu emagrecimento - não, longe disso, eu só fazia aula uma vez por semana e isso é muito distante de qualquer relação com perda de peso. Mas, naquela uma vez por semana, eu ficava olhando para o meu corpo e para a minha barriga, e a minha pança, quer dizer, o meu ventre, era o foco e era arduamente analizado por mim naquele período.

Naquela horinha todo o meu corpo estava em conexão direta com qualquer movimento da minha barriga, cintura e quadris, por isso acho que rolava um foco maior, uma atenção mais direcionada, além, é claro, de ser uma atividade que me fazia tãããão feliz que (e sim, é coisa de doente o que eu vou dizer agora) dava vontade de comer menos, tinha felicidade vindo de outra fonte.

Esse mês eu vou voltar. Hoje vou lá renovar a matrícula e pagar a mensalidade, sem dor no bolso. Eu não tenho que ficar de castigo para recuperar despesas feitas por outrém. "Outrém" gasta dinheiro como se não tivesse fim na conta bancária e eu que tenho que ser penalizada por ajudar? Eu que tenho que me auto-flagelar sacrificando coisas que eu gosto? Realmente, o que eu estava pensando quando tomei essa decisão? "Outrém" me pagarão, eu tenho fé disso, ainda que vá demorar um tempo considerável, e como essa foi a última vez que eu emprestei dinheiro para "Outrém", não preciso mais me preocupar com isso. É bom que "Outrém" aprenda a se virarem sozinhos agora, porque de atitudes ingratas já bateram a conta e alcançaram o limite do Banco Juliana. Banco Juliana agora é uma instituição sem fins filantrópicos!

Então, hoje eu vou lá na aula de novo e vou ficar muuuito feliz, olhando para o meu barrigão balançando e entrando de novo no ciclo de emagrecimento e amor-próprio de onde eu tinha saído!


quinta-feira, maio 31, 2012

De volta para a casa

Não para a casa física, a morada, a habitação na qual eu resido.
Agora eu preciso reconstruir o caminho de volta para a casa dos 50kg.
Estou pesando 62.6 kilos de novo - pausa para olhar da marmota dramárica.

Sabe quando você sabe de uma coisa e quer fingir que não sabe, que não viu.
Eu estava assim há uns dias. Estou sacando que eu engordei, mesmo. Não precisei de balança para saber.
Mas eu hoje perdi o sono pela terceira noite seguida e então, há alguns minutos atrás, resolvi que era hora de encarar a balança, coisa que eu tenho ignorado há uns bons 2 meses. 

Comecei ignorando as pesagens diárias (dane-se o que se diz a respeito disso, eu me peso todos os dias sim, emagrecer é um trabalho diário), depois as semanais, depois as quinzenais e parei de vez. Eu sei que isso é pura e completa auto sabotagem e isso me leva mais uma vez à seguinte constatação: Eu nunca vou poder parar de fazer dieta na minha vida. 

Não posso achar que dá para fazer isso, porque não dá. Eu realmente não sou uma pessoa como as outras, eu sou uma pessoa gorda e por mais que por fora não pareça, eu não posso pensar diferente disso, ou senão retomarei todo o peso que perdi.

Eu não posso simplesmente comer o que eu quero quando dá vontade, porque "o que eu quero quando dá vontade" é mais do que eu posso e devo ingerir. "O que eu quero quando dá vontade" é provavelmente a pior escolha na pior hora. Se eu comer livremente, sem fazer dieta, vai ser errado e eu vou engordar, então é isso, eu preciso martelar na minha cabeça ad eternum que nunca vou chegar um ponto e dizer "agora sou uma pessoa magra e não preciso mais me preocupar com comida". 

Eu nunca vou ser aquela pessoa magra que come quando está com fome e não engorda. Primeiro porque eu estou sempre com fome. Segundo porque como eu sou uma pessoa gorda, eu como mais do que preciso sempre, e eu SEI DISSO, só estou escrevendo de novo para renovar os votos mentais de compromisso com o emagrecimento, como de tempos em tempos preciso fazer para chorar as mágoas do peso "re-ganho" e demarcar limite final da sitação de enfiação de pé na jaca.

Então mais uma vez, de roupa de ginástica no corpo, com pouca comida no prato, sem carbohidratos a noite e com metas de redução de medidas na cabeça, lá vou eu para aquela rota longa e que nunca termina do emagrecimento, rumo à casa dos 50kg. Já descansei e relaxei do lado da estrada, à sombra das guloseimas por muito tempo e é hora de por o pé na estrada.

Bjos!

... ... Agora interessante como eu sempre tenho uns "patamares de peso", sabe? Uns pesos específicos para os quais eu sempre volto, os mesmos números, nunca fora dessas casas. Os meus patamares são: do mais alto 68.8 > 66.8 > 64.6 > 63.6 > 62.6 > 61.9 > 60.2 > 59.8 > 58.9, o mais baixo. Nunca tive os números intermediários, sempre fico exatamente com esses.


domingo, maio 27, 2012

Caminho de Volta

Para explicar sem ter que gritar - né Micha...
Para quem já sabe ficar re-sabendo - né Advi...
E para os outros que se interessarem assim como para eu registrar mais uma vez...

Meus pais estão saindo de Cabo Frio.

Meu pai, que trabalha em sistema de plantão em Além Paraíba, MG, foi transferido para  Juiz de Fora, que é uma hora mais longe e o plantão começa uma hora mais cedo. Ou seja, ele ia ter que sair de Cabo Frio duas horas antes do que já saía, que era às 4h da manhã. 

Então, considerando que o meu pai já está um pouco velho e cansado (de acordo com ele mesmo, eu nem acho) para acordar tão cedo e dirigir assim um estirão...
+ E considerando também que a minha madre está muito insatisfeita com o lugar onde ela trabalha la no Fórum de CF...
+ E adicionando-se ainda o fato de que toda hora eles acabam vindo em médicos e afins aqui em Nkt ou no Rio...
+ E levando em conta que eles não aguentam mais ficar longe de mim e da minha irmã (aiai ser tão importante assim na vida de outrém é muita responsabilidade, rs...)
= Eles resolveram que o melhor é voltar para cá.

O único problema por enquanto é ONDE seria esse CÁ hipotético. Já foi dada a largada da corrida "Mudem para Niterói" com filhatrocínio meu contra o movimento "Mudem para o Rio" idealizado pela minha irmã (cuja vida e interesses estão do outro lado da Baía de Guanabara). 

Independentemente de onde esse futuro estabelecimento for, eu estou é muito afim de que seja logo. A princípio fiquei um pouco resistente, porque eu já moro a tanto tempo longe deles que pensei que poderia ser complicado voltar a morar assim perto, ainda que a oposição vença e eles se estabeleçam no além-poça. Mas isso foi só uns três dias. 

No quarto dia já estava até planejando o quando vai ser muito melhor eles virem para cá mesmo, pensando onde eles poderiam morar e até catando preço de apartamento (porque ainda que eles venham para Nikity City, não virãm morar nesse apartamento que eu moro, que é deles, porque querem um apto maior, melhor e mais confortável - e com varanda dessa vez - para um estabelecimento definitivo. Eles só ficariam aqui cmg e Dani em caráter provisório).

Também fico feliz porque os meus avós maternos (ainda que contra a vontade do meu avô) "serão mudados" para cá de novo e isso vai ser muito bom para eles, porque eles vão poder estar mais em família, além de facilidades médicas e de transporte, é claro. O único ponto negativo disso é que eu não sei o que eles farão com a Nina, a cachorrinha deles. Ia ser tristão ter que doá-la, caso eles venham prum apartamento. "Cachorro não é gente e lugar de bicho é no quintal" é uma das crenças mais fortes da minha família e a cachorrinha, apesar de velhinha, tá longe de bater as botas.

Mas, resumindo, é isso. Eles vão voltar e eu quero que seja logo, pois vai ser muito legal. No entanto essas coisas demoram, porque a minha mãe pediu remoção/permuta e esse é um processo longo. Igualmente longo é o processo de vender a nossa casa lá (ai que triiiisssste sou muito apegada materialmente lá).

Gozado que ontem eu sonhei que eles não iam vir mais, e fiquei felizona no sonho também.
Conflito psicológico?

domingo, maio 20, 2012

1 mês e 20 dias depois...

Eu vou contar o que eu tenho feito.

Primeiro o que eu NÃO tenho feito e foi uma grande burrice da minha parte: Parei de fazer Yoga e Dança do Ventre para dar um up na conta bancária assolada pelo pagamento de dívida de terceiros, mas realmente não vale a pena. A melhor decisão é deixar os endividados de virarem e continuar a me alongar e me balançar, porque os gastadores ingratos estão lá felizes e eu estou aqui triste com isso! 

VOLTEI A CORRER um pouco, conquistanto aos poucos o ritmo devagar, mas já me inscrevi em 2 corridas pra esse ano: A primeira será o Circuito Fun and Run 2012, em Niterói mesmo. Recomeçando com 4km em casa, na minha pista de sempre. A segunda serão os 10km do Circuito das Estações Adidas de Inverno - o primeiro grande desafio do retorno!

Fui para São Paulo no Lollapalooza ver Foo Fighters, fazer a pior viagem de avião da minha vida, com direito a dormir no chão frio do aeroporto e por fim ainda perder a câmera do Ty! Mas assisti ao show da minha vida, que espero poder repetir sempre que for possível os caras arrasaram!

Fui para Brasília rapidinho só para comemorar o niver do meu avô paterno e conhecer a casa deles e do meu padrinho lá, que eu nunca tinha ido! Adorei tudo e pretendo voltar mais vezes à capital do meu país, e espero ter tempo para ver Mere e Bia da próxima vez!

Agora, o grande evento da temporada foi a aprovação do meu Digníssimo namorado da Prova da OAB! Após algumas tentativas mal-fadadas, meu príncipe encantado agora é advogado, urrul! Fiquei muito feliz, ficamos todos muito felizes e quero aqui dar parabéns para ele!

E a grandessíssima novidade da temporada é que MEUS PAIS VIRÃO em definitivo para Niterói, num futuro não muito distante. Quer dizer, eu não sei ainda se eles virão para Nkt ou para o RJ, mas eles se mudarão out (or) back from Cabo Frio e esse processo é irreversível. Os porquês e as implicações ficam para um próximo post!



sábado, maio 19, 2012

Recorrentes e reincidentes...

Umas coisas que têm me atacado ultimamente...

A rouquidão, já típica do final de semestre, só que dessa vez veio no meio. Só me esforçar mais um pouquinho e já fico sem voz. Passei umas três semanas com a garganta que se eu pudesse eu jogava o fabricante na justiça por ser tão ruim e estragar tão fácil!


A crise de alergia no melhor estilo escroto que eu há muito tempo não tinha... Sinal de que é provável que, se eu tomar vergonha na cara e for procurar um médico decente, vou ter que encarar mais um novo ciclo de vacinas.

A dor de barriga repentina noturna, geralmente na sexta ou no sábado. É só pisar, digo, comer, um passo fora da linha ou do horário que vem aquela incoveniente vontade explosiva de ir no banheiro, que chega sempre sem sinal e é de episódio único.

A dor de barriga psicológica. É só ficar ansiosa, nervosa ou frustada que dá vontade de ir no banheiro, e eu vou mesmo, não é só cólica, não, é dor de barriga com resultado real, o que torna a situação mais exasperadora ainda!

A boca rachada, ressecada? Gente, o que há de errado com os meus lábios, que indiferentemente do tempo/clima estão rachados direto, não sei mais o que fazer, aja hidratante labial para dar conta! O que vocês me recomendam?

A preguiça de fazer exercício.
A preguiça de ler.
A preguiça de arrumar as coisas.

A ENORME vontade de comer. Comer tudo, toda hora. Comer bobeira sem parar, incontrolávelmente. É possível que eu esteja compensando algo com comida? Sim, talvez eu esteja compensando a falta de comida com comida. Compensando os meses de dieta com desequilíbrio, rs... Isso me deixa pra baixo.

Tenho estado meio assim ultimamente, meio doente e pra baixo - mas vejo a luz no fim do túnel, vejo o fim do semestre chegando! Férias URRUL!