sábado, dezembro 22, 2012

"Anunciaram e garantiram
Que o mundo ia se acabar..."
...O dia 21 passou...
"E o tal do mundo
Não se acabou..."

"E amanhã é 23, são oito dias para o fim do mês..."


O fim do mês de um ano que eu não vim muito aqui porque eu tive muito a fazer em outros lugares. E vou elencar e celebrar essas tais coisas feitas nesse post oficial de fim do ano do Jululu.

Janeiro: Passei as férias em CF aproveitando o máximo possível, exercitando minha criatividade com a produção de caixas decorativas - como faço todo ano. Fui madrinha no casamento de dois amigos muito queridos e as minhas amigas lindas Advi e Micha, com seus respectivos amados, foram passar uns dias na minha casa em CF!

Fevereiro: Fim de férias, esse ano fui presenteada em trabalhar 2 dias do lado de casa...que benção! Fui para Foz do Iguaçu e me encantei com a beleza do Brasil. Eu e Ty tivemos uma briga seríssima e olha, por mim o namoro tinha acabado - não foi mole não. Descobri que estava com metatarsalgia e tive que parar de correr. 

Março: Iniciei o período de repouso e tratamento da minha lesão, fiquei muito de saco cheio, começou a luta com a balança de novo. Fui para Brasília pro aniversário do meu avô paterno e adorei os 3 dias que passei lá! Parei de fazer Dança do Ventre também, porque não estava conseguindo ir direito.

Abril: Esse mês inteiro não me dignei nem a postar, de tão chato que foi. Me lembro que foi o mês MAIS rápido do ano, teve uma porrada de feriado. Eu tinha desistido de escrever no blog. E teve o Lollapalloza, onde eu vi o show dos Foo Fighters. Q quer dizer, ver não vi, mas estava lá - daí dormi no aeroporto e perdi a câmera do Ty. Sux! 

Maio: Minha mãe me convenceu a voltar a escrever no blog. Meus pais decidiram voltar de CF para NKT. Ainda na briga ferrenha com a balança, ainda sem correr. Ty passou na OAB!

Junho: Fez 9 anos que eu e Ty estamos juntos. Perdi uma turma por conta de fofoca falsa de mãe no trabalho e falta de ética da minha chefe por acreditar na mãe e não em mim - e decidi não dar mais o horário da manhã nesse dia, em resposta. Fui à Aparecida do Norte, voltei para a Dança do Ventre e voltei a correr!

Julho: Conheci o meu vício do ano: Pinterest. Me rendi ao Chrome e ao Itunes e fiquei mais fanática ainda por podcasts. Acabei com todas as fotos do blog acidentalmente. Excluí vários emails e contas não utilizadas na net, rooteei meu celular e quase matei o aparelho. Reencontrei o pessoal da Facul no niver de 1 aninho do filhinho de um deles - delícia! Corri os 10km do Adidas de Inverno.

Agosto: Volta as aulas, CORTEI O CABELO curto! Fiz Circuito Light Rio Antigo e meu pai e minha mãe foram comigo, porque MINHA MÃE conseguiu transferência para a Capital. Meus pais vieram de mala e cuia para NKT.

Setembro: Fui a 2 casamentos em um dia só, um de manhã e um de tarde. Revi vários colegas de escola num deles e lembrei porque não faço questão de vê-los, rs... Fui no show da Alanis Morissette com a minha irmã. Teve Circuito Adidas de Primavera, 10km. Fui passar um fds de furacão em CF

Outubro: Fiz 26 numa crise phoda - mais gorda e mais sem saber o que queria da vida. Fui para CF no feriadão. Fui com minhas amigas e encontrei meus amigos lá - acho que foi um dos melhores feriados da minha vida. Eu e Ty fizemos 9 anos de namoro e tomamos uma DECISÃO muito importante: Vamos morar juntos. Foi dada a largada para os preparativos e arranjes da junção.

Novembro: Cansaço super de fim de ano chegando. Crise de gordice. Resolvi me apresentar com a Dança do Ventre no fim do ano. Teve Circuito Vênus.

Dezembro: Teve Adidas de Verão mas eu não fui! Teve Circuito Light Rio Antigo e eu cheguei atrasada. Teve Color Run e eu fui sozinha me sujar. O apartamento para onde eu e Ty foi liberado com 6 meses de antecedência - o que era para ser pro fim do ano que vem, foi pro começo do ano - graças! Teve a primeira parte de O HOBBIT. Apresentei na festa de fim do ano da Dança do Ventre, que nessa vez não foi no teatro. A Advi foi para a Franca. Fui pro niver da minha vó em CF, o Natal será em NKT e o Ano Novo E o mês ainda não acabou!


*Featured Songs:
"O Mundo não se acabou", Adriana Calcanhoto & "Amanhã é 23",  Kid Abelha

quinta-feira, dezembro 06, 2012

Falta de Tolerância

Com o passar dos anos eu acho que fui ficando muito mais tolerante.
Hoje eu acho que talvez verdadeiramente não odeie de fato nada ou ninguém.
Para mim não vale a pena.

Acho que depois que a adolescência passa, passa aquela necessidade infundada de ter alguma opinião sobre tudo, de ter uma reação para todas as coisas e, principalmente de odiar.

Eu me lembro que foi num post da Bia há muitos anos atrás que eu vi algo sobre o ódio nesse estilo... sobre como odiar é ruim, como o melhor é não odiar nada. Até tentei achar esse post mas já faz muuuuitos anos e não consegui. Eu sei que foi uma coisa que me tocou quando eu li. Realmente, odiar não tem sentido.

Me revolta, claro, ver o quanto as pessoas procuram briga e incitam o ódio às mais diversas coisas.

Me revolta mas me compadeço... sei lá, dá uma pena da pessoa. Ela poderia gastar seu tempo amando alguma coisa ou falando sobre alguma coisa que ama, ao invés de dar ibope ao que não suporta.

As pessoas estão perdendo a noção de como e quando se expressar a respeito de tudo.

Sim, é certo que: 

Todos têm o direito de não gostar de algo/alguém. 
Todo mundo tem o direito de não concordar com alguma coisa ou várias coisas.
Toda pessoa tem o direito de ser contra e se protestar contra inúmeras outras coisas.  

Mas há de se lembrar que:

O seu direito acaba onde o do outro começa.
Quem grita sempre perde a razão.
Na maioria das situações, a palavra é prata e o silêncio é ouro.

Muitas vezes eu fico só observando o comportamento das pessoas. A eloquência em odiar e a necessidade de expressar o ódio e repúdio - muitas vezes até gratuito - contra algo. A verborragia que tão veementemente renega e julga alguém ou "alguéns". 

Se toda essa energia fosse usada positivamente o mundo seria um lugar tão melhor.
Se as pessoas ficassem mais contidas em sua expressão negativa e mais expressivas em suas ações, talvez não houvesse de fato nada dessas coisas que elas "odeiam".

Neguinho reclama demais. Tá, eu reclamo demais - mas reclamo demais de, sobre e para três ou quatro pessoas, um grupo que constitui precisamente a minha família - com quem eu convivo, e por mais que as vezes morra de raiva, acho impossível odiar.

Mais tolerância nesse mundo e menos falação de ódio, vamos combinar?

segunda-feira, dezembro 03, 2012

A versão Extendida

Então...

Depois de mais de um mês a pessoa que vos escreve tem coragem de vir aqui publicar a edição de colecionadores da história de como eu e meu Digníssimo resolvemos juntar os trapinhos...

Cof cof...

(Entra o tema de Star Wars) 

Numa galáxia muito distante... 
Num reino Far Far Away... 

(Muda para cena com o burro do Shrek perguntando "Are we there yet?")

... mais precisamente em Cabo Frio há pouco mais de 9 anos atrás, eu e meu namorado nos conhecemos!

(Leia com a entonação do narrador da sessão da tarde!) 

E após muitos anos de altas aventuras e confusões, essa duplinha muito esperta finalmente tomou coragem e vai dividir o mesmo apartamento!

Esse foi o começo;

O meu namorado sempre foi perguntado, coitado, quando que ia parar de me enrolar e me desposar de vez, e sempre respondeu, sem o menor crédito, que era eu que o estava enrolando era eu. Isso não deixa de ser verdade. Há uns 2 anos ou mais já vinhamos pensando em assumir um compromisso mais sério (Bom, ainda acho que namorar quase uma década é um compromisso bem sério). Mas é que eu estava esperando o momento perfeito para isso.

O plano inicial era um dia a gente ir morar num apartamento que ele tem num bairro ao lado do onde moramos agora. Depois cogitamos outras possibilidades, mas com os meus pais tendo vindo para Niterói, tudo mudou.

A princípio, eles viriam para Nkt uma para um outro apartamento (que comprariam com a venda da nossa casa em CF), que não é o onde moramos agora (que já compraram e onde eu e minha irmã moramos). Quando isso ocorresse, havia combinado que minha irmã (a contragosto) iria morar com eles d novo e eu ficaria onde estou. Mas...

A casa em CF não vendeu e não parece q será vendida tão cedo. E o apartamento do lado do nosso aqui em Nkt entrou á venda. Então analisamos e pensamos que:

1) Nada seria melhor para os meus pais do que comprar o apto vizinho e fazer um apartamento de 1 andar só. Só assim ficaria uma tamanho bacana mesmo para quem sempre morou em casa...

2) O plano anterior ficava vinculado a uma venda sem previsão, e depois de 9 anos não ter mais previsão e nenhum controle sobre o destino do seu relacionamento não é legal... "Deixa a vida me levar" já perdeu a graça!

3) Tem muito macaco para pouco galho lá em casa agora. Não tenho espaço para as minhas coisas, não posso mais arrumar do jeito que eu quero, não decido mais nada... Bom, experimente morar de volta com os pais depois de morar quase 10 anos sem eles! Tem suas vantagens, mas também tem seus deméritos...

4) Chega uma hora que você TEM QUE sair a casa dos seus pais. TEM QUE partir para outra. TEM QUE tomar uma decisão. Não dá para ficar em "stand by" para sempre.

Então, numa fila doe MacDonalds da vida, enquanto conversavamos sobre qual sanduíche pedidíramos e o que iríamo fazer da ida, meu caro Digníssimo me solta que "a única pessoa de quem tudo dependia era eu, e que se fosse por ele já tinha acontecido". Quando você praticamente perguntada se prefere casar ou comprar um MacChicken, a coisa está séria mesmo. Então que daí eu resolvi pelos dois, comi o hambúrguer e resolvi dar o próximo passo.

Vou adiantando que não, não vai ter a festa de casório. Nunca foi o meu sonho, não é o meu estilo e gastar dinheiro assim com coisa que não se faz questão é contra a minha religião, hehehehe. Eu pretendo me casar no civil sim, um dia, quando já estivermos juntos sob o mesmo teto e depois que for pedida - porque na fila do MacDonalds não configura pedido de casamento em nenhuma dimensão.

Ia ser só em Dezembro essa junção, mas depois mudou para Julho e agora já está em Março. Se desse no mês que vem eu já me mudava, mas estamos esperando a inquilina entregar o apartamento, e combinamos só para o terceiro mês do ano que vem mesmo.